Sobre este espaço

Este é um espaço destinado à reflexões acerca da memória, do tempo e de histórias.. Histórias de vida, histórias inventadas, histórias... Um espaço onde a imaginação possa fluir, viajar. Um espaço também para escrever sobre minhas reflexões referentes aos meus estudos sobre arqueologia e antropologia... Antes de mais nada, uma espécie de Diário daquilo que me impulsiona, um lugar para organizar (ou tentar) meus pensamentos.. antes que eles voem por aí.

Boa exploração!

Roberta Cadaval

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Etérea.

Desenho: Lidiane Dutra

Esta foi uma homenagem que a Lidi fez pra mim. Aproveito para agradecê-la por ter me escolhido como fonte para um de seus estudos gráficos e para deixar registrado que adorei o resultado! Transcende a minha pessoa! Segundo ela, o nome do desenho é "Roberta etérea"...
Recomendo que leiam o blog dela, está muito bom. 
Aborda várias questões interessantes, lá você encontrará dicas de livros, endereços eletrônicos e principalmente questões relacionadas à arte, filosofia e desenho (seja ele confeccionado pela luz ou pela mão humana!).
Cliquem aqui e confiram!

Abraços etéreos a todos!!

1 comentários:

Lidiane disse...

Sobre o desenho: fiz esse trabalho depois de algum tempo sem desenhar e me surpreendi com o resultado. Não queria que fosse um desenho acadêmico, idêntico à fotografia que o originou. Queria a minha visão, como a figura da Beta se materializava para mim. Lembrei até de um filme bem bobinho, mas que traz a questão do olhar do desenhista, chama-se "Para sempre Cinderella". Um desenho não precisa ser acadêmico, pois traz consigo o olhar de quem o fez. Fico feliz por ter conseguido captar essa essência da Beta bo trabalho, e quero deixar registrado que praticamente todos os meus amigos são minhas cobaias hahahaha. Mto obrigada pelo espaço e pelo reconhecimento! Fico feliz e derretida hahahaha!!! Bjos

Postar um comentário

O quê estes filmes têm em comum?

O quê estes filmes têm em comum?
"Le fabuleux destin d'Amélie Poulain", "Uma vida iluminada" e "Coisas insignificantes".