Sobre este espaço

Este é um espaço destinado à reflexões acerca da memória, do tempo e de histórias.. Histórias de vida, histórias inventadas, histórias... Um espaço onde a imaginação possa fluir, viajar. Um espaço também para escrever sobre minhas reflexões referentes aos meus estudos sobre arqueologia e antropologia... Antes de mais nada, uma espécie de Diário daquilo que me impulsiona, um lugar para organizar (ou tentar) meus pensamentos.. antes que eles voem por aí.

Boa exploração!

Roberta Cadaval

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O que fica é saudade

Para o meu pai, Eroci Cadaval

O que fica é saudade.
É vazio, é vontade.
É o espaço do teu amor, da lembrança.
A memória brilhante daquilo que vivenciei ao teu lado.
Tua sabedoria me ensinou a verdade.
Tuas mãos me mostraram a beleza.
Teus passos, luz.
Sou o que sou por ter sido guiada, preparada.
Conduzida a te ensinar, a aprender contigo.
A trocar.
O toque.
O amor que não se vê.
Só se sente.
Na memória, no coração.
Impresso na alma.
O que fica... é saudade.

Roberta de Souza Cadaval

2 comentários:

Sheila S.S. disse...

Querida, é lindo! Cheio de sentimento. Abção, e segue em paz...

Bru disse...

Lindo amiga, emocionante.

Postar um comentário

O quê estes filmes têm em comum?

O quê estes filmes têm em comum?
"Le fabuleux destin d'Amélie Poulain", "Uma vida iluminada" e "Coisas insignificantes".