Sobre este espaço

Este é um espaço destinado à reflexões acerca da memória, do tempo e de histórias.. Histórias de vida, histórias inventadas, histórias... Um espaço onde a imaginação possa fluir, viajar. Um espaço também para escrever sobre minhas reflexões referentes aos meus estudos sobre arqueologia e antropologia... Antes de mais nada, uma espécie de Diário daquilo que me impulsiona, um lugar para organizar (ou tentar) meus pensamentos.. antes que eles voem por aí.

Boa exploração!

Roberta Cadaval

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Por entre praças.

No último domingo curti um lindo dia de sol, de um colorido único e de uma alegria ímpar. Na beira da praia de São Lourenço, molhando os pés na lagoa que refletia um azul-céu vibrante, tornei-me voyeur do tempo. Admirei a alegria que pulsava nos sorrisos das faces que por mim passavam. Alegria esta, tão pulsante e presente nos passos desses transeuntes, em meio a tantos passos leves em descansos e enérgicos em correntes! Capturei mundos. Acordei a criança que habita em mim. Fiz das cores vibrantes uma escala de cinzas, que do preto ao branco contornavam os sons. O som do balanço enferrujado pelo tempo. Ao fundo, risadas infantis, conversas entre brincadeiras. E neste momento, entendo Fernando Pessoa quando diz: "Agora ouço o vento passar. E só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido." Ouvi o vento, senti a água e os pés na areia. Vi olhos brilhando de alegria. Vi crianças em seus belos mundos. Me vi criança em todos os meus reflexos. Me senti livre e fui poeta. Fiz canção na minha alma e senti... senti que por perceber tanto e assim, valeu a pena ter nascido.





3 comentários:

Cláudio Azevedo disse...

E eu ouvi o vento contigo... sinto na dança das tua palavras uma sintonia com minhas lembranças... lembranças de uma beleza da calma, da poesia, da arte, da vida que pouco encontro nas ruas e no transito daqui! Foram momentos de retroalimentação em nós... em nossa possível simplicidade de viver!!! Tuas fotos... lindas poéticas visuais... bj

L.M.C.A disse...

Lindoo Rô...admiro tua capacidade de transformar a percepcão em palavra,música, poesia, beleza...Esse teu dom torna a vida mais bela, mais simples, mais leve...mais vida! E faz a vida valer mais...quando estou contigo e compartilho contigo percebo que "Valeu a pena ter nascido." Te amo demais! Sempreee!!!!:)

Penseira disse...

Belíssimo! Parabéns Roberta!! :)

Postar um comentário

O quê estes filmes têm em comum?

O quê estes filmes têm em comum?
"Le fabuleux destin d'Amélie Poulain", "Uma vida iluminada" e "Coisas insignificantes".